sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Mãe admirável

Não há maravilha mais autêntica do que a alma verdadeiramente maravilhável. Essa tem o amor de Deus, pois a perfeita Caridade consiste em maravilhar-se humilde e desinteressadamente com as coisas divinas. Não só com as invisíveis conhecidas pela Fé, mas também com as visíveis que Deus colocou ao nosso alcance.
Eis a virtude, tão fundamental para a alma contrarrevolucionária e para o espírito católico, que devemos procurar e pedir a Nossa Senhora que, como ninguém, foi a mais maravilhável das almas.
Se Deus concedeu a Maria Santíssima o Menino Jesus para encerrar-Se no seu claustro virginal, passar sua infância ao lado d’Ela, viver trinta anos maravilhando-A, é porque Ela possuía uma potência de maravilhar-Se que estava na proporção dessa maravilha. Compreende-se, assim, qual era a capacidade de maravilhar-Se de Nossa Senhora.

Resultado: tornou-Se maravilhosa. Por isso todas as gerações a chamarão Bem-aventurada (Cf. Lc 1, 48). Pelo desinteresse com que Maria amou, pela humildade com que Ela admirou, tornou-Se admirável.
Plinio Corrêa de Oliveira

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Misericordiosa Mãe


Ainda que não nos lembremos de Nossa Senhora, Ela está Se lembrando de nós do alto dos Céus, pedindo por nós com uma misericórdia que nenhuma forma de pecado pode esgotar. Basta nos voltarmos para esta misericordiosa Mãe para que, cheia de bondade, Ela nos atenda e nos limpe a alma, dando-nos força para praticarmos a virtude e nos transformarmos de pecadores em homens bons.

Plinio Corrêa de Oliveira

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Oração a Nossa Senhora do Bom Conselho

Ó Mãe do Bom Conselho, eu Vo-lo suplico: falai no mais íntimo da alma deste vosso filho e escravo.
Tornai, assim, sempre presente a meu espírito a convicção de que são objetivas — e não meros frutos da imaginação — as graças que, segundo firmíssima tradição, concedeis a vossos devotos pelas “mudanças” de vossa fisionomia.
Convencei-me de que podeis instilar, desta forma, nas almas, convicções de confiança e paz que valham por verdadeiras promessas vossas.
Tendo em vista os auxílios providenciais que em várias ocasiões inesperadamente me concedestes, peço-Vos que acresçais ainda mais minha confiança, de sorte que ela se torne inabalável em todas as ocasiões.

Pela virtude dessa confiança, dai-me a certeza de que, através de graças avassaladoras, tornar-me-eis um perfeito cavaleiro vosso; exorcizai e enviai para longe de mim qualquer influência diabólica; e uni-me cada vez mais a Vós, para Vos servir na Terra e Vos louvar no Céu. Assim seja.
Plinio Corrêa de Oliveira

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Como iniciar o Rosário

O modo ideal de começar a rezar o Rosário é oscular o Crucifixo, pedindo a Nossa Senhora que seja intermediária Nossa e que esse ósculo seja dado por intermédio d'Ela para ser grato a Ele. Depois, começamos as orações do Rosário em união com Maria e por intermédio de Maria, de maneira tal que toda a oração se faça por esta forma; os 3 terços do Rosário.

Plinio Corrêa de Oliveira - 10/03/1984

sábado, 26 de novembro de 2016

A importância da Medalha Milagrosa

Plinio Corrêa de Oliveira conta um fato extraordinário de uma moça que foi confessar-se e São João Maria Vianney disse para ela:
— Minha filha, você se lembra de que esteve em tal ocasião num baile?
Podemos imaginar a sensação dela. E continuou ele:
— Lembra-se de que, em certo momento, entrou na sala de baile um rapaz muito bem apessoado, elegante, correto, e dançou com várias moças?
— Sim, lembro-me.
— Lembra-se de que você teve muita vontade de que ele dançasse consigo?
— Lembro-me.
— Lembra-se de que o rapaz não o fez, e por isso você olhou para ele com uma espécie de tristeza? E, na hora de ele sair da sala, fitando incidentemente os pés dele, notou uma luz azul que lhe saía dos pés?
— Lembro-me.
— Aquele homem era o demônio, que tomou a forma humana e dançou neste baile com várias moças. Ele não lhe pediu para dançar porque você é Filha de Maria e estava com a Medalha Milagrosa no peito.
São João Maria Vianney estava revelando um passado que não podia conhecer; logo, isso não podia deixar de ser verdade.


Plinio Corrêa de Oliveira - Extraído de conferência de 6/10/1990

segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Encontro da esperança com a realidade



A festa da Apresentação de Nossa Senhora tem uma beleza especial. Maria Santíssima, a raiz de Jessé da qual haveria de nascer o Messias, é apresentada no Templo, a instituição incumbida de guardar a Promessa. Recebendo Aquela que representa o primeiro passo rumo à realização da Promessa, houve no Templo o encontro da esperança com a realidade.
Nossa Senhora consagra ao serviço de Deus sua alma insondavelmente santa, fazendo penetrar no Templo a luz incomparável de sua santidade. Começa, então, a preparação d’Aquela que viria a ser a Mãe do Salvador.
Nesta comemoração, devemos apresentar nossas pessoas à Santíssima Virgem para que Ela se digne aceitar e assumir a tarefa da nossa santificação, como foi feito pelo Espírito Santo com Ela, no Templo de Jerusalém.
Plinio Corrêa de Oliveira – Extraído de conferência de 20/11/1965

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Medalha Milagrosa



Conheça a história da Medalha Milagrosa. A aparição de Nossa Senhora a Santa Catarina Labouré. 
Assista ao vídeo.



terça-feira, 15 de novembro de 2016

Um bom conselho


sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Fazendo a vontade de Deus

Prece a Nossa Senhora que se encontra a caminho da gruta de Belém:
 “Senhora, vós vos encontrais na situação a mais simples possível de uma criatura humana, sobre um asno. Mais simples do que isso, o que poderia ser? Entretanto, vós nessa situação sois o mais belo de todos os tabernáculos que Deus poderia ter criado: em vosso claustro materno se encontra o Criador, o Redentor, o Senhor dos anjos e dos homens; Aquele que os anjos e os bem-aventurados louvam e louvarão por toda a eternidade.
“Contudo, vossa aparência é de calma, tranquilidade, paz, serenidade, resignação. Vós não vos preocupais com a gruta que vos está sendo preparada, vós não vos afligis pelo fato de ser introduzida num ambiente que não vos é digno, vós aceitais tudo como se fosse da vontade de Deus.
 “É certo que Vós pedistes que o Menino Jesus pudesse ter um lugar digno para nascer. No entanto, quando vós vistes que era vontade de Deus que Ele nascesse num lugar tão pobre quanto uma gruta, imediatamente Vós pusestes vossa vontade pronta a entrar em consonância com aquilo que era vontade de Deus.
“Minha Mãe, dai-me a graça de ter este vosso estado de espírito, disposto a aceitar tudo o que me for dado como um desígnio altíssimo de Deus, e que eu, na hora, possa não entender, mas que mais tarde, me será explicado.
Que as portas de minha alma não sejam como as portas dos judeus daqueles tempos, que se negaram a receber dentro de seu recinto o Criador do Céu e da Terra, nosso Redentor. E que vós possais encontrar no ambiente de minha alma uma receptividade ainda maior do que a gruta de Belém vos deu”.

Mons João Clá Dias 2/12/1999

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

As pessoas que se unem a Nosso Senhor, por meio de Maria, fazem maravilhas


Os meios naturais e humanos nos foram dados pela Providência para serem usados por nós, dentro do espírito que Deus nos concede e para a finalidade que a Providência tem em vista. Portanto, o efeito das influências da ação da graça do Sagrado Coração de Jesus, através do Coração Imaculado de Maria, nas nossas almas, consiste em dar a toda criatura um uso excelente.
Digamos que num país haja uma serrania com muitos cristais, e o povo comece a trabalhar naquilo. Se eles tiverem almas profundamente influenciadas pelo Sagrado Coração de Jesus, por meio do Imaculado Coração de Maria, acaba acontecendo que o trabalho deles vai dar em cristaleiras excelentes.
Uma coisa é positiva: basta haver almas que se unam bem a Nosso Senhor, por meio de Nossa Senhora, que elas acabam fazendo maravilhas! Grandes ou modestas maravilhas, pois saber fazer também pequenas maravilhas, amá-las e extasiar-se com elas é próprio da alma verdadeiramente católica.

Seria mais ou menos como um pai que tem um filho de quatro ou cinco anos e, no seu aniversário, o filho verboso lhe escreve uma cartinha com pretensões literárias. Pode ser uma pequena maravilha, mas o pai fica tão comovido — e eventualmente até mais — como se tivesse um filho que escrevesse um artigo sobre ele num jornal. São as pequenas maravilhas de que Deus encheu a Criação.
Plinio Corrêa de Oliveira – Extraído de conferência de 19/12/1985

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

O celeste rosto de Maria

Quantas vezes o reflexo de um castelo nas águas de um lago é mais belo que o próprio edifício!
Ao caminhar sobre o mar de Tiberíades, Jesus refletiu-se nas águas, Entretanto, Ele era mais belo do que o reflexo.
 Sem dúvida, isto seria verdade em quaisquer águas do mundo: do Danúbio, do Sena, do Tejo, do Guadalquivir, do Reno, da Baía da Guanabara, e de tantos lugares magníficos da Terra.
Mas o que seria verdade em todos os mares da Terra, não o era apenas num “mar”, maior do que todos eles, entretanto, tão menos extenso: Maria. Porque quando Nosso Senhor olhava para sua Mãe Santíssima, coisas que só Ela compreendia n’Ele se refletiam no semblante d’Ela. E quem olhasse para o celeste rosto de Maria teria como que uma porta de acesso de ouro, para compreender os mistérios da Sagrada face de Jesus!
Em Maria, só em Maria, mas plenamente em Maria, alguém olhando veria algo que Jesus manifestava a Ela e àqueles que sabem procurá-Lo n’Ela.
Plinio Corrêa de Oliveira – extraído de conferência -27/09/1980
                                                                            


quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Nossa Senhora Auxiliadora

Nossa Senhora Auxiliadora. Aqui está a solução! Sendo eu ordinário como sou, é a solução para sempre. Porque se eu não me apegar a Ela, tudo está perdido! Mas pelo trato, pelo jeito, pela bondade d’Ela, sinto que, por eu ser tão ordinário, tão fraco, tão ruim, ter essa semente de mal em mim tão marcada como eu vejo, Ela tem uma pena especial. E enquanto meço a profundeza das minhas chagas, Ela sorri para mim e como que me diz:

“Meu filho, é verdade, você tem razão. Mas muito mais Eu sou boa do que você é ruim! E passo por cima disso, o afago, lhe quero bem, trago-o para junto de Mim.”
Plinio Corrêa de Oliveira – Extraído de conferência de 12/4/1989

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

E no seio materno sempre santa

E no seio materno sempre santa
Afirma o eminente mariólogo que “a remissão do pecado original não se pode fazer sem a infusão da graça santificante. Por isto a Imaculada Conceição não se distingue, na realidade, da primeira santificação da Mãe de Deus, e se pode chamar sua graça original” 43.
Maria, santa desde o primeiro instante de sua vida
Os Santos e outros abalizados autores, de diversas maneiras exprimiram essa doutrina.
Em um de seus arrebatadores sermões dedicados a Nossa Senhora, São Tomás de Villanueva ensina: “Era necessário que a Mãe de Deus fosse também puríssima, sem mancha, sem pecado. E assim não apenas quando donzela, mas em menina foi santíssima, e santíssima no seio de sua mãe, e santíssima em sua concepção. Pois não convinha que o santuário de Deus, a mansão da Sabedoria, o relicário do Espírito Santo, a urna do maná celestial, tivesse em si a menor mácula. Pelo que, antes de receber aquela alma santíssima, foi completamente purificada a carne até do resíduo de toda mancha, e assim, ao ser infundida a alma, não herdou nem contraiu pela carne mancha  alguma de pecado, como está escrito: «Fixou sua habitação na paz (Si. LXXV,  3). Quer dizer, a mansão da divina Sabedoria foi construída sem a inclinação para o pecado”.

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Antegozo do Céu

O que pensaríamos se estivéssemos diante de Nossa Senhora?
Imaginar, por exemplo, Nossa Senhora, que foi virgem antes, durante e depois do parto. Durante o nascimento de Nosso Senhor Ela se conservou virgem; como esse mistério se deu?!
Outro episódio da vida de Maria Santíssima: quando Ela notou a perplexidade de São José, viu seu esposo passar por aquele sofrimento sem nome, e percebeu a santidade dele que não duvidou d’Ela em nenhum momento. O demônio com certeza queria que ele duvidasse de Nossa Senhora; São José não duvidou em nenhum instante, mas resolveu retirar-se. E a tristeza com que ele se acomodou sobre a cama para dormir, antes de partir pela estrada para o desconhecido, porque era o homem que estava colocado na maior perplexidade que houve na História.
Quem sabe se Ela o olhou dormindo em paz, mas afogado na dor? E se Ela de repente notou — quando já era quase madrugada, perto da hora de ele se levantar e partir, no último sonho noturno — a fisionomia de São José se iluminar como um sol, e percebeu que na última hora Deus teve pena dele e revelou-lhe o que havia?
Ele no sonho viu o Anjo, não acordou logo, mas pouco depois um vulcão de alegria estourou dentro dele. São José ficou junto à porta do quarto de Nossa Senhora prostrado, à espera do momento em que Ela saísse, osculou o chão e os pés d’Ela, e a Virgem Santíssima entendeu tudo e nunca falaram sobre nada. É uma coisa para lá de sublime!
Conversar sobre temas desses é antegozar o Céu. Imaginem a hora em que cheguemos ao Paraíso e vejamos, de repente, São José com aquele bastão e aqueles lírios, cercado de uma coorte intérmina de Anjos, mas com uma alegria enorme no olhar porque estava vendo Nossa Senhora a pouca distância dele. E um pouco mais adiante Nosso Senhor, que sem ser filho dele segundo a carne, mas sim segundo a lei, sorriu para ele e disse: “Meu pai!”

Só de vermos essa cena teríamos uma felicidade própria para encher a eternidade.
Plinio Corrêa de Oliveira - Revista Dr Plinio n. 202 

domingo, 23 de outubro de 2016

Humildade


quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Nossa Senhora: Auxiliadora Onipotente


sábado, 15 de outubro de 2016

Fátima e Nossa Senhora do Carmo

Em Fátima, a Virgem Maria também apareceu com as características de Nossa Senhora do Carmo. Que relação existe entre a mensagem de Fátima e a Ordem do Carmo? Essa questão é abordada por Plinio Corrêa de Oliveira, com base no texto de uma revelação recebida por Santa Teresa de Ávila.
Gostaria de apresentar alguns traços da revelação de Fátima que a diferenciam de outras revelações anteriores.
Castigo por causa da imoralidade e da irreligião dos povos
Eis um traço muito curioso: é a única revelação que conheço, de tal maneira admitida, aceita e acatada em meios católicos e até pela hierarquia eclesiástica, a qual trata não só de um tema moral — porque isso é frequente em várias revelações —, mas tira derivações desse tema moral para o campo político, numa ilação que tem muito de comum com a doutrina que posteriormente tentamos expor no livro Revolução e Contra-Revolução .
O plano de ideias que Nossa Senhora apresenta para os homens é que há uma crise moral prodigiosa, a qual é, no fundo, uma crise religiosa; e essa crise religiosa e moral vai desembocar numa catástrofe política . Essa catástrofe política que Ela profetiza qual vai ser? A Rússia espalhará seus erros por toda a Terra. É um castigo por causa da imoralidade e da irreligião dos povos. Quer dizer, há um nítido conteúdo político.
Outro aspecto curioso que não encontrei ainda em nenhuma outra revelação — não digo que não houve, pois não pretendo ter conhecido todas —: Nossa Senhora Se mostra em três invocações sucessivas: com as características de Nossa Senhora de Fátima, mas também como o Imaculado Coração de Maria e como Nossa Senhora do Carmo.

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Oração a Nossa Senhora Aparecida

Ó Mãe nossa, Senhora Aparecida!
 Desde o momento bendito em que, há mais de dois séculos, as vigorosas mãos de filhos vossos, pescadores nas águas do Paraíba, recolheram na sua rede Vossa Imagem bendita, a piedade popular foi elevando em torno d’Ela um culto filial de confiança e amor, não cessastes um dia sequer de difundir Vossas graças maternais e opulentas, sobre os que aqui Vos imploram.
 Com ânimo filial e confiante, eis-nos pois, ó Maria, Rainha do Brasil, aqui reunidos para, por nossa vez, Vos pedirmos uma graça.
 Estamos certos de que nô-la quereis conceder.
 Olhai, Senhora e Mãe, para esta nação de dimensões continentais! Olhai-a e vêde que todas as infidelidades, os pecados e as desventuras que afligem este pobre mundo moderno, também sobre ela se abateram. E que elas vão levando à garra Vosso Brasil, como todos os povos espiritual e culturalmente nascidos da Civilização que outrora se intitulava galhardamente de Cristã.
 Domina! Salva nos, perimus! Senhora, salvai-nos, pois estamos por perecer, Vos bradamos, como outrora bradaram a Vosso Divino Filho os que com Ele vogavam na tempestade, sobre as águas do lado de Genesaré. Atendei quanto antes às necessidades do Brasil.

Texto extraído e adaptado de uma oração composta por Plinio Corrêa de Oliveira 

sábado, 8 de outubro de 2016

Nossa Senhora da Luz Profética


Revista Dr Plinio Jul 2016

segunda-feira, 3 de outubro de 2016

Conhecer as misericórdias de Nossa Senhora


Para conhecer as misericórdias só há dois caminhos: ou é eu ver como Nossa Senhora trata alguém que é miserável e daí conhecer a misericórdia dEla, porque é o amor dEla ao miserável que está na minha frente, que é meu companheiro; ou eu ter conhecimento da misericórdia de Nossa Senhora para comigo.
Saiba que Nossa Senhora lhe ama com um amor que é maior do que se nós tomássemos todas as mães do mundo, desde Eva até a última, e se essas mães todas tivessem um filho só, o amor de todas essas mães somado por este único filho era inferior, mas inferior a mais não poder, ao amor que Nossa Senhora lhe tem. O amor que Nossa Senhora lhe tem é muito maior do que o amor de todas as mães por um filho único. Nossa Senhora lhe ama muito mais.

Então, procure pedir para experimentar esse amor dEla pela sua alma. Procure pedir a Nossa Senhora que lhe dê a graça de se sentir filho único dEla. A partir do momento em que você experimentar a misericórdia de Nossa Senhora na sua alma, abriu-se um céu. Você tem diante de si algo de inimaginável e tudo fica fácil.
Mons João Clá Dias

domingo, 2 de outubro de 2016

Tesouro de Deus

Deus Pai juntou todas as águas e denominou- as mar; reuniu todas as suas graças e chamou-as Maria. Este grande Deus tem um tesouro, um depósito riquíssimo, onde encerrou tudo que há de belo, brilhante, raro e precioso, até seu próprio Filho; e este tesouro imenso é Maria, que os Anjos chamam o tesouro do Senhor, e de cuja plenitude os homens se enriquecem.

São Luís Maria Grignion de Montfort, Tratado da verdadeira devoção à Santíssima Virgem

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Trono da misericórdia


Na imagem de Nossa Senhora de Las Lajas a Santíssima Virgem está com um olhar sério e investigador de quem quer ser obedecida. Ela tem fisionomia de Mãe, mas não está sorrindo; e embora não esteja olhando com expressão de ameaça ou repreensão, seu semblante é é de alguém que, Se houver algo errado, passa um pito ou faz uma ameaça.
O Menino Jesus está muito amavelmente voltado para quem reza. Em lugar do quadro clássico do Divino Infante sério e Nossa Senhora sorrindo para o pecador, indicando que Ela obtém d’Ele a misericórdia e o beneplácito, temos o contrário: Ele se volta sorridente para o pecador, Ela está séria. Quase se diria que Ele está distribuindo favores sem que Ela tenha entrado muito no assunto. Parece até inverter o papel da Medianeira.

Na realidade, o pensamento é muito profundo: Ele Se manifesta tão misericordioso, com essa alegria de dar, porque está sentado no trono da misericórdia.
Plinio Correa de Oliveira

domingo, 25 de setembro de 2016

Nossa Senhora Menina

Esta maravilhosa criança teve o uso da razão desde o primeiro instante de sua vida. E Deus lhe concedeu um espírito super excelente, isento de tudo quanto pudesse perturbar sua paz e tranquilidade, e sempre disposto inteiramente a receber as luzes do Céu, sem opor-lhes o menor obstáculo.

São João Eudes

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Mãe das luzes celestiais

São João Eudes assim se dirige à Santíssima Virgem, verdadeira luz dos doutores:
Ó divina Maria, não sem razão Vos foi dado por Deus este glorioso nome de Maria, que quer dizer Iluminada e Iluminadora. Chama-se Ele o Pai das luzes e o Senhor das ciências (I Reis, II, 3) e quer Vos associar nestas suas divinas qualidades, quer que sejais a Mãe das luzes celestiais e a Mestra das santas ciências; pelo que seja Ele eternamente bendito, louvado e glorificado.
“Dignai-Vos, ó Mãe, tornar-nos partícipes de vossas sagradas luzes e de vossa divina ciência. Guardai-nos da ciência perniciosa que incha o coração e envenena a alma, dessa condenável ciência que é a filha do orgulho, a irmã da presunção, a nutriz da curiosidade, a alma da arrogância, a mãe da impiedade e da apostasia, e a causa da rebelião contra Deus e contra a sua Igreja. Fazei-nos sábios com a ciência da salvação, com a ciência dos Santos, com essa formosa e invejável ciência que é a filha da caridade, a mãe da humildade, a irmã da submissão, a inseparável companheira da piedade, o coração da santidade e a nutriz de todas as virtudes.”

EUDES, Juan. La Infancia Admirable de la Santísima Madre de Diós. Bogotá: San Juan Eudes, 1957. p. 195.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

E o nome da Virgem era Maria

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Devoção a Nossa Senhora das Dores

Co-redentora do gênero humano
Quando foi decidido pelo Pai Eterno que Jesus Cristo deveria morrer para expiar nossos pecados, quis Ele ter o consentimento da Santíssima Virgem, o que representou para Ela um golpe espantoso.

Pensemos em nossas mães. Se alguém lhes dissesse: “Quer me dar seu filho, para que ele sofra blasfêmias, seja ridicularizado, perseguido, preso, entregue ao desprezo e ao ódio do povo, flagelado, coroado de espinhos, obrigado a carregar sua cruz até o Calvário e morra de modo atroz?” — nenhuma delas cederia o filho! Não há mãe que queira isso para aquele que ela trouxe ao mundo. Porém, Nossa Senhora sabia ser necessário esse holocausto para a redenção do gênero humano. Ela deu seu consentimento, e com isso sofreu uma dor intensíssima, como se um gládio Lhe transpassasse o coração. Daí vem a devoção a Nossa Senhora das Dores, e a imagem d’Ela com o coração aparente, atravessado por uma espada. É uma evocação do sacrifício que Ela fez. Nos seus eternos desígnios, Deus quis que esse padecimento de Maria fosse unido ao de Nosso Senhor para resgatar os homens, e por essa razão Ela é chamada pela Igreja de Co-redentora do gênero humano.
Plinio Correa de Oliveira

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Refúgio dos pecadores


Maria Santíssima é o refúgio perene, contínuo, que jamais se fecha a qualquer espécie de pecadores. Está na grandeza de Nossa Senhora ser um imenso e perfeito refúgio, porque tudo n’Ela excede a nossa capacidade de cogitação.
Um porto é um abrigo contra o mar revolto, e um navio encontra ali um refúgio. Dizemos que esse refúgio é tanto maior e mais esplêndido quanto mais navios couberem nele. Em uma enseada como a do Rio de Janeiro, por exemplo, onde não sei quantas esquadras poderiam entrar e sentirem-se completamente protegidas contra o mar bravio, vemos uma grandeza, uma magnificência e um esplendor incomensuráveis.
A Santíssima Virgem é assim. Ela pode dar refúgio a pecadores cujos pecados atingem um tamanho inimaginável, ingratidões inconcebíveis, insondáveis. Desde que a alma se volte para esta boa Mãe, Ela cobre tudo e aceita de dar toda espécie de perdão para toda espécie de pecados. Maria é, portanto, o refúgio por excelência.
Se sentirmos tristeza por notarmos que temos alguma culpa, devemos dizer a Ela:
“Temos culpa, é verdade. Mas Vós sois o Refúgio dos Pecadores, e está na vossa grandeza, ó minha Mãe, tomar os meus pecados e defeitos, e abrir para eles como que um porto para me defender do alto-mar das consequências interiores e exteriores das minhas desordens. À vossa grandeza corresponde também a grandeza de vossa misericórdia, Vós tereis pena de mim e me acolhereis”.

Plinio Correa de Oliveira – Extraído d conferência de 5/9/1970