domingo, 4 de novembro de 2012

Estrela da Manhã

HINO
Salve, ó Virgem Mãe, Senhora minha,
Estrela da Manhã, do Céu Rainha,
Cheia de graça sois; salve, luz pura,

Valei ao mundo e a toda criatura.
Para Mãe o Senhor Vos destinou
Do que os mares, a Terra e Céus criou.
Preservou Ele a vossa Conceição
Da mancha que nós temos em Adão. Amém.

 Comentários do Pequeno Ofício da Imaculada
No post anterior foi comentado Senhora minha
Agora comentaremos Estrela da Manhã

“É bem conhecida a passagem, em geral cheia de poesia, mas também de incertezas, da noite para o dia.
“Em meio às trevas da madrugada notam-se, de repente, alguns pontos do céu esbranquiçados, e se tem a impressão de que é o começo do alvorecer. De fato não o é: o firmamento se cobre novamente de negro, e só aos poucos vai se tornando pálido. É nesse momento que brilha, com todo o seu fulgor, a estrela da manhã ou, como muitos a chamam, estrela d’alva. É ela o anúncio da aurora, o sinal de que o sol está por vir” 23.
A evocativa beleza desse corpo celeste refulgindo nos albores do dia, constitui expressiva representação do esplendor da verdadeira Estrela da Manhã, Maria Santíssima.
Maria e o símbolo da estrela
“Nossa Senhora — comenta o Prof. Plinio Corrêa de Oliveira — é chamada, muito a propósito, de Estrela luminosíssima. Incontáveis astros reluzem no firmamento, porém Ela é o mais resplandecente de todos: ou seja, Maria é a mais luminosa das criaturas.
“E por que é simbolizada pela estrela? Porque é durante a noite que cintilam as estrelas, e esta vida é para o católico uma noite, um vale de lágrimas, uma época de provação, de perigo e de apreensões. Na eternidade teremos o dia, porém na vida terrena temos o escuro da madrugada. E nesta noite existe uma estrela que nos guia, que é a consolação de quem caminha nas trevas, olhando para o céu: Maria Santíssima, a mais fulgurante de todas as estrelas!” 24
O Pc. Jourdain nos indica outras razões pelas quais Nossa Senhora é apresentada pela figura da estrela:
“O símbolo da estrela convém admiravelmente a Maria. Ele nos faz melhor compreender suas inefáveis grandezas e o que para nós Ela representa. «O sol é Jesus Cristo, e Maria é a estrela», diz Hugo de São Vitor. [...]
“Vários astros tiram toda a sua luz do sol. Maria testemunha que Ela também tirou sua luz do Sol de Justiça, Jesus Cristo. «Aquele que é poderoso, diz Ela, fez em Mim grandes coisas, e seu nome é santo». Ela reflete tão perfeitamente a luz divina, que a Igreja não hesita em Lhe aplicar várias passagens da Sagrada Escritura que concernem, em primeiro lugar, à Sabedoria incriada. [...]
“A estrela permanece sempre no firmamento, e jamais baixa sobre a terra. A Santíssima Virgem sempre levou uma vida celeste: todas as suas afeições estavam no Céu. Nunca aplicou seu espírito nas coisas terrenas e carnais. Assim o Esposo louva sua fronte, dizendo que «ela é como o monte Carmelo» (Cânt. VII, 5). Assim como o píncaro do Carmelo nunca se viu coberto pelas nuvens e gozou sempre de um ar puro, assim a alma de Maria jamais foi molestada pelas afeições terrestres e nebulosas: resplandecia Ela de celeste serenidade. [...]
“Os antigos viam a substância das estrelas como incorruptível, inacessível, portanto, à destruição que o tempo traz para as coisas da Terra. Maria foi isenta de toda corrupção: sua came não conheceu a dissolução no túmulo, nem sua alma, a produzida pelo pecado.
“Uma estrela deita sua luz com grande fulgor, sem lesão de sua substância. A Bem-aventurada Virgem Maria, do mesmo modo, sem prejuízo de sua virgindade, projetou de suas castas entranhas o Cristo, a Luz do mundo. [...]
“As estrelas influem sobre as criaturas terrenas, iluminando-as e contribuindo à sua geração. Sem a luz do sol, da lua e das estrelas, o universo cairia numa espécie de caos. A Bem-aventurada Virgem Maria influi igualmente sobre o mundo obscurecido pelas trevas do pecado: Ela o ilumina, protege-o e o conserva sob seu domínio, de tal maneira que, se Ela não existisse, de há muito teria o mundo desaparecido. [...]
“Uma estrela, apesar de sua aparente imobilidade, percorre com extrema rapidez e perfeita regularidade distâncias inimagináveis. Assim, a Virgem Santíssima, apesar de sua firmeza inabalável, percorreu uma tão vasta trajetória na via da perfeição e dos méritos, que sobrepujou a todos os Santos e todos os Anjos. [...]
O Divino Sol de Justiça não eclipsa a beleza de Maria
“Existe, porém, uma diferença entre Maria e as estrelas. Quando aparece o sol, todos os demais astros se despojam de seus raios e parecem imergir no nada, O Divino Sol de Justiça não eclipsa a beleza de Maria. Pelo contrário, confere Ele maior brilho à sua glória. [...]
“[Podemos resumir com] Guilherme de Paris: «Maria, desde o seu nascimento, foi uma estrela, por sua preservação do pecado original que A tomou incorruptível; pela luz do bom exemplo que Ela espargiu em torno de si e que se estendeu ao mundo inteiro; por seu desapego das coisas da Terra: desprezou a glória, porque foi humilde, as riquezas porque foi muito pobre, os prazeres porque foi santíssima; pelo novo fulgor que Ela confere ao Paraíso, do qual sua glória é um dos mais belos ornamentos». [...]

23) Cfr. CORREA DE OLIVEIRA, Plinio. Conferências em 29/11/1991 e 1/12/1991. (Arquivo pessoal).
24) Cfr. CORRÊA DE OLIVEIRA, Plinio. Conferência em 24/8/965. (Arquivo pessoal).
  Continua...

Nenhum comentário: